IMPOSTOS EM SÃO PAULO

sábado, 24 de dezembro de 2011

RECEITA DE ANO NOVO - CARLOS DRUMOND DE ANDRADE


Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido (mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser, novo até no coração das coisas menos percebidas 
(a começar pelo seu interior) novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? passa telegrama?).
Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar que por decreto da esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.
COMENTÁRIOS:



Antônio Carlos Vieira disse..
Feliz 2012 para você, seus familiares e seus leitores.
1 de janeiro de 2012 01:09



Obrigada Antonio pela sua carinhosa participação.Abraços Odila Fonseca

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

DANDO UMA PAUSA PARA CONTINUAR A GIRAR A VIDA !!!! MEUS 70 ANOS!!!

Meu filho Gustavo oferecendo o bolo. Minha neta Leticia teria assoprado tudo!?  Mas, Odila ficou com a impressão que foi ela que apagou!
Domingo ! Dia 11 de dezembro de 2011! Com apenas um sopro as setenta velinhas se apagaram! Pensei : Hoje sou a "matriarca eleita!"  Consegui unir meus filhos,minhas noras meus netinhos. Consegui! E estavamos todos muitos felizes! Li Manoel de Barros, que com seus 100 anos, ainda poetisa absurdez.Compartilho, neste espaço, que é dedicado a todos que por aqui passarem:
" Fosse bem: que as minhas palavras gorgeassem!"
"Os rios gostam de entardecer entre os pássaros;"
" Previlégio dos ventos : Semear borboletas!"
"Visões descobrem descaminhos para as palavras"
Quem não vê o extase do chão é cego"
"Quisera dar ao nada uma voz enlouquecida!"
Neste dia aprendi, lendo Manoel de Barros no seu último livro, a palavra ARREBOL ... 
 "Um dia ele nos contou que assistira a estréia do "ARREBOL"... 
e encabulada perguntei se alguém já tinha ouvido a palavra "arrebol". Alicia sabia ! Então fiquei sabendo e pratiquei minha humildade: Vivendo e aprendendo! Essas citações foram retiradas do livro de Manoel de Barros - "ESCRITOS EM VERBAL DE AVE" onde na contra capa le se a despedida de seu melhor amigo de infância:
" De manhã deixamos Bernardo em sua sepultura.... a tarde o deserto já estava em nós"
Conheci neste dia ,também, um dos ilustradores de livros do Manoel
NOTÍCIAS: A PREMIAÇÃO TOPBLOG 2011 ESTÁ NESTE LINK
Não coseguimos chegar em primeiro lugar mas conseguimos estar entre os 30 melhores.Parabéns para nós todos que contribuimos para a construção deste espaço de EDUCOMUNICAÇÃO. Uma das conquistas de 2011, foi saber que a acessibilidade do nosso Blog ultrapassou 40 mil acessos. Temos uma comunidade que ultrapassa 200 pessoas. Um dos trabalhos da ECA para alunos de arte foi citado no portal da USP.Confira nossas conquistas acessando:
Que 2012 seja para nós um ano de muita amorosidade e CONEXÕES NOVAS


Figueira centenária: Força das raízes, vida longa nosso símbolo
ASSIM COMEÇAMOS: Em 1885, Fazenda do Mato Dentro de Baixo- Atual Fazenda Brandina- Sede da FEAC .Primeiro momento- o nascimento do BLOG Educomambiental
 2- E a torcida de nossa querida Ionara,professora, bióloga e sobretudo amiga desde o nascimento do BLOG. Encaminhou pelo FACEBOOK este recado:

COMENTÁRIOS

 Ionara Urruti Moura
                                                      
 "De Ionara Urruti Moura
queridonaaaaaaa amei ver a citaçao do blog na ECA!!! UAU! Poderosa...Voce que é a mãe da criança, a gente participou do parto, é certo, mas o filho foi criado por vc....e muito bem. Eu quero ser sempre a madrinha querida e coruja...Beijo grande. Ah tua caixa postal de e mail devolveu dois emaisl que te mandei agora...e mandei também pro Professor João Luiz e pro Sandro..."
RECOMENDAÇÕES\:
Luna Di Primo  disse... tudo muito lindo, aqui, parabens por chegar e comemorar os 70 com essa alegria... nada mais bonito que uma pessoa sem ou que sabe absorver as amarguras e transformá-las em mensagens silenciosas de positividade... parabens tambem por tao belo blog... a luz que se encontra aqui é fantástica...bjuuu
13 de janeiro de 2012 

AGROTÓXICOS : O MODELO DO AGRONEGÓCIO NO BRASIL

J.P.Stédile
"A difusão do uso de agrotóxicos no Brasil não tem a ver com necessidade agronômica. Está totalmente relacionada à etapa atual do capitalismo, à qual a nossa sociedade está subordinada", enfatizou o coordenador do Movimento Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, na palestra Campanha Nacional contra os Agrotóxicos e o contexto político atual, realizada na ENSP, na segunda-feira (12/12). O coordenador do MST ressaltou que nos últimos dez anos o uso de venenos no Brasil cresceu muito e há três anos ficou ainda pior. Atualmente, o país é apontado como o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Stédile, que esteve na Escola para divulgar a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e pela Vida, enfatizou que é possível produzir alimentos saudáveis sem utilizar agrotóxicos: com a agroecologia.
Prof.Antonio Ivo na abertura do evento
A mesa de abertura contou com a participação do diretor da ENSP, Antônio Ivo de Carvalho, do presidente da Associação dos Servidores da Fundação Oswaldo Cruz (Asfoc), Paulo César de Castro, e do coordenador do Movimento Sem Terra, João Pedro Stédile. O diretor da Escola destacou a importância de receber o coordenador de um movimento social tão expressivo quanto o MST, com grande responsabilidade diante da sociedade civil e da classe política. Antônio Ivo falou sobre a história da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca e de sua importância na formação do ideal de saúde e da construção do SUS e destacou o comprometimento para uma agenda de formação voltada para o desenvolvimento de um curso de mestrado sobre a temática. O presidente da Asfoc, Paulo César de Castro, o Paulão, ressaltou a importância do estreitamento das relações com as instituições públicas no sentido de fortalecer a campanha. Dando início à palestra Campanha Nacional contra os Agrotóxicos e o contexto político atual, coordenada pelo pesquisador do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) Marcelo Firpo, o coordenador do MST, João Pedro Stédile, falou sobre a vocação política da Fiocruz em participar de movimentos sociais e ressaltou que o SUS é uma revolução para a população pobre no Brasil. Em seguida, Stédile entrou na temática dos agrotóxicos e explicou a formação da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e pela Vida, que tem como objetivo ampliar o debate com a população sobre a falta de fiscalização do uso, do consumo e da venda de agrotóxicos, a contaminação dos solos e das águas, bem como denunciar os impactos dos venenos na saúde dos trabalhadores das comunidades rurais e dos consumidores das comunidades urbanas. Segundo ele, era preciso criar uma campanha nacional contra o uso de agrotóxicos que representasse todas as forças progressistas do nosso país. "Conseguimos reunir um leque de forças que nenhuma outra campanha já conseguiu. A partir dos debates, nos demos conta de que a difusão do uso de agrotóxicos no Brasil não tem a ver com uma necessidade agronômica, ela está totalmente relacionada à etapa atual do capitalismo à qual a nossa sociedade está subordinada". De acordo com o coordenador, esse capitalismo assumiu uma nova fase com aquilo que conhecemos por globalização e está preocupado apenas em produzir lucros a qualquer custo. "Gerou-se no Brasil uma aliança de classes composta por grandes empresas transnacionais, as mesmas que fornecem o veneno e a matriz tecnológica, e isso não é uma questão de coincidência. Esse modelo agrícola baseado no uso de agrotóxicos produz um PIB anual de 140 bilhões", explicou ele. Stédile falou também sobre os grandes proprietários de terra - citados por ele como a burguesia agrária moderna - e sobre a influência dos meios de comunicação de massa, que também fazem parte dessa aliança. De acordo com ele, cabe aos meios de comunicação reproduzir a ideologia proposta por essa aliança de classes, que indica que o modelo baseado no uso de agrotóxicos é bom, único e legítimo. O coordenador explicou que tudo concorreu para a produção do modelo do agronegócio, e culminou num modelo de produção que tem como características a produção em grande escala, o monocultivo - agricultura baseada em um só produto - e a introdução de sementes transgênicas. Segundo o coordenador do MST, atualmente o Brasil está totalmente refém do monocultivo, 85% das terras do país são dedicadas à produção de soja, milho, cana de açúcar e gado. No âmbito da introdução das sementes transgênicas, Stédile afirmou que o uso da técnica nas sementes objetiva apenas que a empresa tenha propriedade genética da semente. "Todas as experiências com sementes orgânicas não são para melhorar a produtividade ou a saúde da população, por exemplo, elas são combinadas com o uso de agrotóxicos que as empresas que investem na introdução de sementes transgênicas produzem. As sementes transgênicas foram um condicionante para o aumento do uso de herbicida. Isso ajuda a explicar o aumento do uso de agrotóxicos no Brasil, totalmente combinado com o modelo econômico do agronegócio", denunciou. O coordenador lembrou, ainda, que qualquer ação do capital e toda ação humana gera contradições e que, nessa linha de raciocínio, o modelo do agronegócio também tem suas contradições.  Stédile citou como uma das contradições do modelo o largo uso de veneno, o que afeta em grande escala a saúde pública. "Temos hoje no país 1 milhão de casos de câncer por ano. Se continuarmos nesse caminho, a tendência é a de que cerca de 400 bilhões de pessoas por ano morram de câncer causado principalmente pelos agrotóxicos. Isso é uma contradição e a população precisa se dar conta para agir antes que seja tarde demais", alertou. Apontado também como outra contradição do modelo do agronegócio está o desequilíbrio do planeta: o agrotóxico elimina a biodiversidade. De acordo com o coordenador, a região sudeste do país está condenada a sofrer cada vez mais enchentes, fruto do desequilíbrio causado pelo modelo, pois o modelo de agronegócio afeta também as condições climáticas. "Esperamos que a população entenda que essas contradições podem gerar a construção de outro modelo de produção para a agricultura brasileira. É totalmente possível produzir alimentos saudáveis sem utilizar agrotóxicos, fazendo uso apenas da agroecologia. Ao contrário do que muitos dizem, produzir baseado em agroecologia não é mais caro e com certeza é muito mais saudável em todos os pontos", afirmou. Por fim, Stédile explicou que, com o objetivo de entender o que há por trás dos agrotóxicos e suas consequências, foi construída a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e pela Vida. A campanha pretende criar um processo de conscientização da sociedade sobre a ameaça dos agrotóxicos; denunciar e responsabilizar as empresas que produzem e comercializam agrotóxicos; convencer a sociedade sobre a necessidade de mudança do atual modelo agrícola, que produz comida envenenada; criar um espaço de construção de unidades entre ambientalistas, camponeses, trabalhadores urbanos, estudantes, consumidores e todos aqueles que prezam pela produção de um alimento saudável que respeite o meio ambiente; além de explicitar a necessidade e o potencial que o Brasil tem de produzir alimentos diversificados e saudáveis para todos, em pleno convívio com o meio ambiente, com base em princípios agroecológicos. "O principal objetivo da campanha é proibir o uso de agrotóxicos em todo o território brasileiro", concluiu Stédile.
ENSP, publicada em 13/12/2011 - Tatiane Vargas
SUGESTÃO DE LEITURA : EDITORA FIOCRUZ
LIVROS
É Veneno ou É Remédio?-agrotóxicos,saúde e ambiente
Frederico Peres e Josino Costa Moreira (Orgs.)
A obra traz importante contribuição para o debate sobre a real necessidade do uso de agrotóxicos nos processo de produção agropecuários, enfatizando a premência de garantir a qualidade de vida das populações humanas que, todos os anos, expõem-se aos efeitos nocivos desses agentes, consumidos indiscriminadamente ao redor do mundo. Discutem-se aqui os principais desafios enfrentados pelo setor saúde e pelos órgãos ambientais, relacionados ao monitoramento de possíveis efeitos negativos à saúde humana e à qualidade ambiental. Apresentam-se também iniciativas bem-sucedidas de enfrentamento dessa questão, por parte de profissionais das mais diversas áreas do saber.
VER SUMÁRIO Este livro está disponível na íntegra em formato PDF sem custos para acesso:
Capa ; Iniciais ; Prefácio e Apresentação ; Capítulo 1 ; Capítulo 2 ; Capítulo 3 ; Capítulo 4 ; Capítulo 5 ; Capítulo 6 ; Capítulo 7 ; Capítulo 8 ; Capítulo 9 ; Capítulo 10 ; Capítulo 11 ; Capítulo 12 ; Capítulo 13 ; Capítulo 14 ; Capítulo 15 ; Capítulo 16 ; Capítulo 17 .
ISBN: 85-7541-031-8. 2003. 384p., il. ESGOTADO. DISPONÍVEL EM PDF
LEIA TAMBÉM SOBRE A SOJA CONVENCIONAL:
http://www.agorams.com.br/jornal/2012/01/cultivares-de-soja-convencional-ultrapassam-resultados-comerciais/

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

IMPACTOS DOS MEGAEMPREENDIMENTOS: NA PAREDE ESTÃO A ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA (ENSP) A ABRASCO (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SAÚDE COLETIVA) E A TRANFORMAÇÃO SOCIAL BRASILEIRA .

DIA 8 12-11 - Palestra e debate com o professor e pesquisador da ENSP/Fiocruz Hermano A. de Castro.Na quinta-feira dia 8, às 18:30h, realizaremos no CeCAC . Palestra e debate sobre o Impacto dos "megaempreendimentos" de produção e exportação de produtos básicos - commodities agrícolas, minerais e metálicas - nas condições de vida,trabalho e saúde do povo - e, como exemplo marcante, o caso da Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA) - com o pesquisador e professor da ENSP/Fiocruz Hermano Albuquerque de Castro, que está sendo processado por essa transnacional. Para subsidiar o debate indicamos os textos abaixo, além de uma das cartas de solidariedade e apoio de várias entidades a Hermano (anexo) e a indicação de dois vídeo Videos:Saúde dos moradores de Santa Cruz pode estar em risco por causa da CSA – rj tv de 29.6.2011 http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1550150-7823-SAUDE+DOS+MORADORES+DE+SANTA+CRUZ+PODE+ESTAR+EM+RISCO+POR+CAUSA+DA+CSA,00.html
Desenvolvimento  a Ferro e Fogo :

http://www.youtube.com/watch?v=5--nTG9q0A4
Textos:Transnacionais e Violação dos direitos humanos:

 o caso  da Companhia Siderúrgica do Atlântico e o “desenvolvimento” da Baía de Sepetiba  -  coloca a construção do polo siderúrgico das regiões de Santa Cruz e da baía Sepetiba dentro de um contexto mais geral: o desenvolvimento do capitalismo brasileiro inserido na nova divisão internacional do trabalho.Texto completo no Link:
http://www.pacs.org.br/uploaded_files/20090226180610_printed_massacritica_TWFzc2EgQ3LDrXRpY2EgVEtDU0EgTsK6NDEucGRm.pdf
(...) É neste cenário de riquezas ambiental, social e cultural, mas também empobrecido e credor de uma dívida social e ambiental crescente, que os governos municipal, estadual e federal, juntamente com o empresariado nacional e internacional, estão construindo um imenso pólo siderúrgico e um complexo portuário voltado para a exportação de commodities minerais e produtos siderúrgicos. O complexo siderúrgico será composto pela Companhia Siderúrgica do Atlântico - TKCSA, já em construção e que pretende ser a maior siderúrgica da América Latina; a Companhia Siderúrgica Nacional – CSN que aumentará a sua capacidade produtiva e a Gerdau que investirá ampliação da capacidade produtiva da Gerdau Cosigua e a construção da nova usina de aços especiais - Gerdau Aços Especiais Rio. Para o escoamento de minério de ferro e produtos siderúrgicos serão construídos na região, ao todo, oito portos privados: da TKCSA, da CSN, da Usiminas, da Gerdau, da BHP Billinton, da Brazore, o Porto Sudeste da LLX Logística e para a ampliação do porto de Itaguaí. (...) Reafirma-se aqui o caráter do modelo de desenvolvimento que se pretende aprofundar no Brasil que lhe confere o papel de exportador de commodities agrícolas, minerais e metálicas, baseadas em processos produtivos de uso intensivo de recursos naturais e de exploração de força de trabalho. Nesta “nova” divisão do trabalho, os países que são destino dessas commodities especializam-se na produção de aços especiais com maior valor agregado, produzidos a partir dos produtos semi-acabados provenientes dos países do Sul, caracterizada por um processo de inserção externa subordinada dos países do Sul aos países do Norte. (...) A estratégia do
grande capital está clara para a região sudeste que concentra 65% do PIB brasileiro. Sua ação busca criar canais cada vez mais rápidos e eficazes para exportação de commodities minerais e agrícolas. São os minerodutos, os alcoodutos, as ferrovias e os portos com seus terminais de carvão, minério de ferro, produtos agrícolas. (...) Brasil: “crescimento” econômico para quem? Em que condições?(Boletim do CeCAC) Texto completo no Link:
http://www.cecac.org.br/MATERIAS/brasil-crescimento_economico_para_quem-20.5.11.htm
A reconfiguração da economia mundial condiciona as transformações na formação econômico-social brasileira, na estrutura econômica brasileira, que caracterizamos em 2006 como um "processo de regressão a uma situação colonial de novo tipo", iniciado em meados da década de 1980.O deslocamento de parte significativa da produção industrial imperialista para a Ásia/China criou uma forte procura por produtos básicos, principalmente minérios, alimentos e petróleo e norteou a especialização do Brasil na produção de commoditiespara exportação. Este tipo de produção vem se transformando no setor dinâmico da economia brasileira, processo que significou aprofundar a condição do Brasil de país dominado no sistema imperialista mundial.Segundo a ABRASCO (Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva), o "Dr. Hermano Albuquerque de Castro, membro do Grupo Temático de Saúde e Ambiente da ABRASCO e docente da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), é amplamente reconhecido por sua competência técnicocientífica, postura ética e compromisso social. O pesquisador agiu corretamente ao alertar para a necessidade de investigações mais apuradas - para melhor definir as substância(s) lançada(s) na atmosfera pela empresa e os potenciais danos à saúde advindos dessa exposição - e de um constante monitoramento ambiental e da saúde da população do entorno. A TKCSA é o maior "empreendimento" do grande monopólio transnacional de origem alemã Tyssen Krupp (com participação da Vale do Rio Doce, com parte de financiamento pelo BNDES, além de isenções fiscais) no Brasil instalada na região de Santa Cruz (na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro) e Baía de Sepetiba, com produção e exportação de chapas de aço de baixa qualidade, a serem beneficiadas na Alemanha e nos EUA para a preparação de aços especiais, de maior valor agregado.
Centro Cultural Antonio Carlos Carvalho - CeCAC
Av. 13 de maio, 13 salas 1901 e 1903 - Centro - Rio de
Janeiro/RJ
Horário de funcionamento: das 14 às 18h - tel: (21) 2524-6042  Sítio:
www.cecac.org.br    

E-mail: cecac@terra.com.br
 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

TERRA,VIDA E FUTURO GUARANI-KAIOWÁ

O Conselho da Aty Guasu e organizações de apoio e solidárias aos povos indígenas convidam para a Semana em Defesa da Terra, Vida e Futuro Guarani-Kaiowá, a realizar-se no período de 05 a 08 de dezembro de 2011, na cidade de São Paulo. Confira a programação de atos, debates, lançamento e homenagens:
- Dia 5 - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Plenário Juscelino Kubitschek.Av. Pedro Álvares Cabral, 201 - São Paulo – SP.
19hs: As lideranças acompanharão o Prêmio Santo Dias de Direitos Humanos oferecido para a advogada de Direitos Humanos Michael Mary Nolan e farão a leitura do Manifesto do Conselho Aty Guasu, elaborado no último 27 de novembro de 2011, no Mato Grosso do Sul.
- Dia 6 - Câmara Municipal de São Paulo, na Sala Tiradentes
Viaduto Jacareí, 100 - Bela Vista (próximo ao metrô Anhangabaú).
18hs30min: Entrevista coletiva com lideranças Guarani Kaiowá representantes da Aty Guasu
19hs30min: Lançamento do Comitê Nacional em Defesa da População Indígena de Mato Grosso do Sul, com a presença de representantes do Comitê, lideranças Guarani Kaiowá e da Dra. Lucia Helena Rangel, do Departamento de Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais e do Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da PUC-SP.
- Dia 7 - Centro da Cultura Judaica
Rua Oscar Freire, 2.500 - (próximo ao metrô Sumaré)
20hs30min: Exibição do Documentário “À Sombra de um Delírio Verde”, seguido de debate com as lideranças Guarani Kaiowá do MS.
- Dia 8 - Sesc Consolação
Avenida Paulista, 119 (próximo ao metrô Brigadeiro)
18hs30min: Homenagem e voz ao Povo Guarani Kaiowá durante o lançamento do Relatório de Direitos Humanos da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos.
Organização:
Conselho da Aty Guasu, Cimi SP, Cimi MS, CPT, Pastoral Indigenista de São Paulo, Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, Museu da Cultura e Programa Pindorama de estudantes indígenas da PUC-SP, Instituto Terra Trabalho e Cidadania.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Sta CATARINA SE DESTACA NOS JOGOS PARAPAN DE GUADALAJARA,TRAZ OURO,PRATA E BRONZE NA BAGAGEM E CONQUISTA VAGAS NA PARAOLIMPÍADA DE LONDRES!

Claro, estamos vibrando com toda esta juventude catarinense. PARABÉNS PELA JORNADA HERÓICA! Foi um investimento maçiço em políticas públicas. Com uma seriedade, ética e uma visão de onde queriam chegar, esses paratletas e  respectivas técnicas e técnico conquistam o que existe de melhor.A inclusão social, a sustentação possível com suas profissões. Joinville-SC esté em festa. E é para estar mesmo! Mas enquanto isso acontece, como já tenho 70 anos,minha memória relembra a os anos de chumbo....a COPA DO MUNDO NO MÈXICO em 1970. Enquanto vibravamos o governo militar perseguia, prendia torturava e matava. A Comissão da Verdade instituida pela Presidente Dilma, deve jogar luz neste período de noite tenebrosa em nosso país. Por isso quero estabelecer um diálogo com todos estes PARATLETAS jovens do Brasil contemporâneo. Não vamos fazer do esporte e do PARAESPORTE a alienação de nossas vidas. A sociedade brasileira está em sofrimento. Somos um país cuja margem de exclusão é muito grande trazendo um nível de violência sem precedentes.Vocês sabem disso, Paratletas que foram vítimas de tiro,de acidentes...SUSTENTABILIDADE tem varios angulos.Enquanto o Brasil se prepara para 2014 e 2016, somos tomados pelo câncer da corrupção e da ganancia. SOMOS TODOS ÍNDIOS. O agronegócio mata os índios em Mato Gosso do Sul! No Rio de Janeiro a história dos índios está ameaçada, com desconstrução do Museu do Índio. Repasso a notícia que o Laercio , do Forum das TVs Comunitárias nos passou: "Saiu no Globo.
Reportagem do jornal O globo -RIO - O som das máquinas pesadas que destroem o vizinho Maracanã abafa os cânticos. Mas não é capaz de calar o grupo de jovens índios que invoca a ajuda das forças da natureza para permanecer no espaço do antigo Museu do Índio, na Radial Oeste, onde uma aldeia em miniatura abriga cerca de 20 representantes de etnias nativas de todo o país. A maioria dos mais novos estuda - conclui o ensino médio ou cursa História ou Ciências Sociais na também vizinha Uerj, por exemplo. Enquanto, orgulhosos das suas origens, tentam se fazer visíveis como índios, também procuram se integrar à sociedade carioca.
 - Sempre vivi no mato. Agora trabalho aqui e ajudo a difundir a cultura guajajara. Dou aula de tupi-guarani. Quero me qualificar e voltar para o Maranhão, para ajudar o meu povo - diz Zahy Guajajara, de 21 anos. - Sou muito orgulhosa da minha gente, mas acho que muitos índios são submissos. Estamos aqui para que a sociedade nos enxergue. Nosso plano é criar um centro cultural neste espaço que já é dos índios há muito tempo.No meio do caminho, porém, estão planos de investidores privados para transformar a área num estacionamento para o Maracanã ou num shopping. Em agosto do ano passado, a Defensoria Pública da União decidiu pedir ao Iphan o tombamento do conjunto, para transformá-lo num museu vivo dedicado aos povos indígenas.- Ainda não temos garantias de que poderemos ficar. Para nós, é uma questão de resistência - diz Tserewaihi Tsirobó, o Omar, um índio xavante de 24 anos.Como os outros jovens da tribo - há xavantes, guajajaras, pataxós, guaranis, apurinãs... -, Tserewaihi frequenta a Lapa, vai ao estádio assistir a jogos de futebol, trabalha, namora. Ele diz que a integração é relativamente fácil no Rio, embora critique a superficialidade das relações.Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/megazine/quem-sao-os-jovens-indios-que-lutam-para-criar-um-museu-ao-lado-do-maracana-no-rio-2691550#ixzz1eQw7vgoX
(© 1996 - 2011. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. )
Zahy é minha amiga e afilhada social, Zahy é uma menina mulher de 21 anos iluminada, guerreira que precisa da ajuda de todos que defende os Direitos Humanos, agora querem acabar com o museu do índio  ao  lado do Maracanã, Minha luta e para  que este museu continue a onde esta, o que seria bom para a copa do mundo e todos conhecerem um pouco da cultura indígena e não demolir este patrimônio e os índios estão disposto a morrer por esta causa. Por isso pedimos socorro  a todos que defendem a causa indígena e da historia do Brasil,  espalhem esta reportagem por todos as ONG nacionais e internacionais do mundo. Este grupo dorme  no chão, no frio e  com telhado quebrado. E ninguém faz nada. Direito da etnia indígena Brasileira, querem mudar a historia desse povo.(Laercioreporter-DRT048 / MS Laercioreporter@hotmail.com)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

AS QUESTÕES AMAZONICAS E "A VIDA SEM LIMITE" DO CAPITALISMO AVASSALADOR_click no TÍTULO

Tristeza eu sinto! Muita! O Brasil acaba de ter um imenso destaque nas PARAOLIMPÍADAS. SELEÇÃO OURO. Quem estava lá? Amputados, Cegos, os portadores de Deficit Intelectual ( a modalidade Bocha é última a ser incluida) vítimas de violência, de mal formação congenita,´da poliomelite ( Já é declarado que o Brasil erradicou a Polio). A Presidente Dilma, emocionada lançou o Programa " VIDA SEM LIMITE!" esta semana. Programa inclusivo e vamos ser honestos com a gente mesma! É muito bom!  A Inglaterra e Estados Unidos, depois da 1a e 2a Guerra Mundial,incluiram em programas socioambietais seus sequelados e heróis de GUERRA. Normal hoje que o CAPITALISMO brutal mais a questão do PODER COLONIAL,IMPERIAL tenham desembocado nesta truculência absurda e nesses PROGRAMAS .... Mas qual mesmo a nossa GUERRA? Digo honestamente....não gostei de ter visto o Governador Blairo Maggi, quando foi GOVERNADOR de Mato Grosso, dizer que 90% da Amazonia no Estado seria derrubada.Chamei o de louco na ocasião ...  Levou para as Nações Unidas  o seu plano de "melhoria do IDH" passando por cima da nossa autoridade constituida em 2007 ( Presidente LULA)
Dilma CHORA no lançamento do Programa " Vida sem Limite"
 QUAL MESMO A NOSSA GUERRA?Fica aqui uma publicação do INESC, que todos nós comprometidos com as questões socioambientais e a diversidade do planeta, estamos vendo há anos.  Uma destruição avassaladora em nosso país. Hoje, o  Mato Grosso e Goiás não abrigam, a toa, os mais ricos no Brasil . Nesta ocasião em que Blairo Maggi foi governador e eleito por duas vezes, os chineses já ocupavam todo o entorno de Cuiabá!. Se alguém viajava para lá, sabia que a visibilidade não existia por tantas queimadas! Leia a publicação e vamos tirar nossas conclusões:
http://www.inesc.org.br/biblioteca/publicacoes/outras-publicacoes/Contra%20Corrente.pdf

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

DO DESMATAMENTO ABSURDO AO EXTERMÍNIO DA BIODIVERSIDADE E A DIVISÃO DO PARÁ

Por sugestão da Professora Ionara Urrutia Moura  e do Professor Heleno Correa :
Vídeo "É a Gota D'Água" chega aos TTs do Twitter e explode de acesso na rede
A questão da petição contra a construção da polêmica usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, e a luta pela proteção dos rios mobilizou artistas e, hoje, foi lançado o vídeo “Gota d’Água+10”. Conclusão: entrou para o Treding Topics do Twitter. A direção ficou a cargo de Marcos Prado (diretor de “Ônibus 174” e produtor de “Tropa de Elite”) e é apresentado por Ary Fontoura, Bruno Mazzeo, Carol Castro, Ingrid Guimarães, Isis Valverde, Juliana Paes, Cissa Guimarães, Claudia Ohana, Dira Paes, Letícia Sabatella, Maitê Proença, Elisangela Vergueiro, Eriberto leão, Guilhermina Guinle, Marcos Palmeira, Murilo Benício e Nathalia Dill, além de Sergio Marone, que está à frente do projeto.

"Em tempos de mobilização global vale a pena relembrar Castro Alves: "A Praça é do povo, como o céu é do condor".Castro Alves
Em São paulo alunos da USP trabalham essa questão através da ARTE :http://www.cca.eca.usp.br/noticia/545

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

SOBRE NOSSO " PAPEL" NO MUNDO HOJE! DIA 11-11-11

Trouxe comigo minha amiga e colaboradora Cristina Mattoso cristinamattoso@yahoo.com.br  da UniANGATÚ, a UNIVERSIDADE LIVRE.Olha só o convite da Cristina: "Venha, traga um rolo, participe, divulgue" LOCAL: Portão 1 do Parque do Taquaral.
DATA:   Das 9 às 12 horas do dia 20 de novembro.
www.desenrolabrasil.com.br

Memórias do BLOG:

DIA 1-1-11
http://educomambiental.blogspot.com/2011/01/primeiro-dia-de-uma-nova-decada.html
HOJE É UM NOVO DIA, DE UM NOVO TEMPO QUE COMEÇOU... VAMOS GUARDAR O DISCURSO DE COMPROMISSO DA PRESIDENTA DILMA
Baixe o áudio do discurso de Dilma ao Congresso .Um inesquecível 1º de janeiro !
DISCURSO DE POSSE: (Gentileza do Professor Heleno Corrêa,que dançou,cantou e vibrou na praça dos TRES PODERES!)
"O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem"(Presidenta Dilma Rousseff, no discurso de posse no Congresso Nacional; 01/01/2011
DIA 11-1-11-
http://educomambiental.blogspot.com/2011/01/numero-cabalistico-11-1-11.html
NÚMERO CABALÍSTICO 11-1-11... UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA EM SÃO PAULO-CAPITAL ! A MESMA CIDADE QUE SERVIU DE CENÁRIO PARA O FILME "ENSAIOS SOBRE A CEGUEIRA" de F.MEIRELLES

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

AUMENTA A INCIDÊNCIA DE CÂNCER E BEBES MALFORMADOS EM REGIÕES DE SOJA TRANSGÊNICA


8 de novembro de 2011
Por quase 10 anos, os moradores de áreas rurais e periurbanas da Argentina onde a agricultura industrial vem se expandido têm recorrido a autoridades políticas e aos tribunais de justiça, bem como protestado diante do público, por causa dos problemas de saúde que suas comunidades vêm sofrendo em função da pulverização de agrotóxicos usados nas diferentes culturas agrícolas. Nesses locais, chama a atenção o aumento do número de casos de câncer, de nascimento de bebês com malformações e de problemas reprodutivos e hormonais desde que a pulverização sistemática de agrotóxicos se generalizou. As reclamações das cidades-pulverizadas têm sido confirmadas por equipes médicas que atuam nessas regiões, mas as respostas do sistema público de saúde e o envolvimento das universidades públicas com o problema têm sido escassos e limitados.Buscando promover um espaço para a análise acadêmica e a reflexão científica sobre o estado da saúde em cidades-pulverizadas, bem como ouvir e apoiar os profissionais de saúde que vêm denunciando estes problemas, a Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nacional de Córdoba promoveu em agosto deste ano o Primeiro Encontro Nacional de Médicos em Cidades-Pulverizadas. Médicos, outras equipes de saúde e pesquisadores de diferentes disciplinas atuando no país foram chamados a apresentar suas experiências, dados, propostas e trabalhos científicos. O evento reuniu mais de 160 participantes de dez estados e de seis universidades federais.


relatório do encontro, apresentando os principais resultados dessas pesquisas, acaba de ser publicado.

Os relatórios e testemunhos apresentados pelos médicos presentes confirmam as observações clínicas, atestando uma série de doenças e problemas de saúde em pessoas expostas à pulverização. Embora as manifestações de intoxicação aguda (aquela que se manifesta poucas horas após uma exposição elevada a produtos muito tóxicos) representem a maior parte das queixas dos pacientes, o que mais alarma os médicos na maioria das cidades-pulverizadas são duas constatações: primeiro, o número de abortos espontâneos e de nascimento de bebês malformados é significativamente maior nas cidades-pulverizadas do que na média da população.
Segundo, nota-se também um aumento na incidência de câncer em crianças e adultos, além de outras doenças sérias como a Púrpura de Henoch-Schönlein (inflamação dos vasos sanguíneos), doenças hepáticas e neurológicas. Os médicos chamaram a atenção para o fato de que, em geral, vêm trabalhando nas mesmas comunidades por mais de 25 anos, e que as doenças observadas nos últimos anos são incomuns e estritamente relacionadas à aplicação sistemática de agrotóxicos.Um exemplo contundente são os dados apresentados pela Dra. Ana Lía Otaño, representante do Ministério da Saúde no estado do Chaco. O relatório trazido por ela realça claramente o aumento dos casos de bebês malformados no nível estadual, de acordo com os números da principal unidade de saúde pública do estado, a Unidade Neonatal do Hospital J.C. Perrando, na cidade de Resistencia (capital do estado), que passaram de 46 em 1997 para 186 em 2008 (um aumento de 19,1/10 mil nascidos vivos para 85,3/10 mil nascidos vivos).
Os números do Hospital de Resistencia convergem com os dados apresentados pelo Dr. Horacio Lucero, diretor do Laboratório de Biologia Molecular do Instituto Regional de Medicina da Universidade Nacional do Nordeste, que há mais de dez anos vem estudando e registrando a relação dos problemas de saúde acima descritos com a exposição residencial (por vizinhança) aos agrotóxicos no estado do Chaco. O Dr. Lucero acrescenta que, nos últimos anos, o plantio de soja por grandes conglomerados agrícolas veio substituindo outras atividades agrícolas tradicionais na economia regional. Ele apresenta gráficos cruzando o aumento do plantio de soja no estado com o aumento no número de bebês nascidos com malformações.

A relação é ainda mais fortalecida quando é apresentado um mapa mostrando que o número de mortes de bebês causadas por deformações, anomalias cromossômicas e outros defeitos no nascimento é significativamente maior nas áreas de produção de soja e na cidade La Leonesa, que estão sujeitas a altos níveis de pulverização de glifosato e outros agrotóxicos.
Os dados apresentados pela Dra. Otaño também mostram que a incidência de câncer infantil é significativamente maior em cidades expostas aos agrotóxicos (como La Leonesa), quando comparada a cidades moderadamente expostas (como Las Palmas) e a cidades não expostas aos pesticidas (como Puerto Bermejo). A incidência de câncer infantil em La Leonesa é mais de três vezes superior que a de Puerto Bermejo.Os médicos chamam a atenção para o fato de que o aumento do câncer e malformações congênitas nas áreas mencionadas acompanhou o aumento exponencial do uso de agrotóxicos desde a introdução das lavouras transgênicas.
Segundo o relatório, em 1990 foram usados 35 milhões de litros de agrotóxicos. Em 1996, a introdução das sementes transgênicas acelerou o uso de venenos, levando a um consumo de 98 milhões de litros. Em 2000 foram aplicados 145 milhões de litros. Em 2010 esse número já era de 292 milhões de litros, e espera-se para 2011 um consumo de mais de 300 milhões de litros de herbicidas, inseticidas, acaricidas, desfoliantes e outras substâncias tóxicas. O glifosato sozinho deverá representar 200 milhões de litros nesse conjunto.
O relatório também menciona que o aumento do uso de glifosato verificado a cada ano deve estar relacionado ao desenvolvimento de resistência ao veneno pelas plantas invasoras. Os números indicam que em 1996 eram aplicados menos de 2 litros de glifosato por hectare, enquanto hoje algumas áreas recebem 10 litros por hectare. Em alguns casos chegam a ser aplicados quase 20 litros por hectare. E esses agrotóxicos são aplicados extensivamente, sobre grandes áreas . Segundo geógrafos da Universidade Nacional de Córdoba, pelo menos 12 milhões de pessoas vivem em cidades rodeadas por lavouras pulverizadas por venenos. Para os médicos, são 12 milhões de argentinos que estão sendo diretamente fumigados.
Entre as propostas apresentadas pelos médicos participantes do Encontro ao final do documento estão a proibição da pulverização aérea de agrotóxicos, cuja deriva espalha incontroladamente substâncias tóxicas pelo ar, e que as universidades públicas passem a desenvolver e promover opções agroecológicas de produção.
Fonte: http://www.mst.org.br 

MEMÓRIAS DO BLOG : 26 DE JUNHO 2011  educomambiental: SIRVA SE A VONTADE ! O VENENO ESTÁ NA ...

ASSISTA TAMBÉM:

Má Noticia - Brasil é 2º mercado para a Monsanto

"Monsanto é uma empresa que está implementando o codex alimentarios nos países....Essa empresa altera geneticamente os alimentos"
por missao7acordar1 ano atrás1029 exibições

O MUNDO SEGUNDO A MONSANTO

Excelente documentário produzido pela autora do livro "O Mundo Segundo A Monsanto". Esse documentário mostra como essa multinacional está ...
por ArmadilhaFinal2 meses atrás1777 exibições

Transgênicos no Brasil

André Dias, presidente da Monsanto do Brasil, participou do programa Economia & Negócios desta segunda-feira (11/04), com a jornalista Fátima Turci.
por monsantobrasil6 meses atrás851 exibições

NÃO DEIXE DE LER: "LIVRO INVENTÁRIO DOS TERREIROS":
Os dados do Inventário foram publicados no sítio eletrônico do MDS:
Solicitamos ampla divulgação. E informamos que os livros que serão enviados às casas terá um CD ROOM com os dados do Inventário.
Por favor, enviem, o mais rápido possível,  o endereço completo de vocês para que possamos enviar um exemplar do livro. 
Abraço,Luana Lazzeri ArantesCoordenadora Geral
(61)3433 1153 Coordenação Geral de Apoio a Povos e Comunidades Tradicionais - Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional

sábado, 5 de novembro de 2011

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

CAPITALISMO DE MERCADO: com sete bilhões de habitantes,como poderá a mãe terra suportar esta lógica de consumismo? Assista " SURPLUS" - click no título

Você sabia que apenas 20% da população mundial consome 80% dos recursos do planeta? Surplus é bastante diferente dos documentários tradicionais, é quase um videoclip. Trata do consumismo e da globalização e também dos movimentos sociais europeus que aconteceram nas reuniões do G8 e o conflito com as forças policiais. Longe de ser apenas uma crítica ao consumismo ou a sistemas políticos, Surplus, documentário sueco, dirigido pelo italiano Erik Gandini em 2003, é um olhar sobre o jeito de ser e de viver da humanidade.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

NOVAS DENÚNCIAS SOBRE A FÁBRICA TKCSA: EXPOSIÇÃO A POLUENTES AMBIENTAIS DE ALTO RISCO A SAÚDE PÚBLICA

Primeiro foi Hermano de Castro, pesquisador da ENSP/Fiocruz, processado por ter assinado um laudo médico no qual afirmava que “O que se verificou foram eventos sentinelas que demonstram a possibilidade de danos causados pela exposição ambiental, relacionadas ao acidente ocorrido na região ou ao processo de emissão dos poluentes produzidos pela fábrica”. E recomendava, ao final: “Tomando-se em conta a proximidade das habitações e da população no entorno da fábrica e possíveis danos à saúde de curto prazo (efeitos agudos), médio e longo prazo, como câncer (efeitos crônicos), esta população deveria ser colocada sob vigilância ambiental em saúde pelo tempo em que ficar exposta e por pelo menos 20 anos após retirada da exposição”. Resultado: a TKCSA sentiu-se injustiçada e atingida em sua honra. Talvez até seus dirigentes tenham precisado, eles, de cuidados médicos, ante tanta “ignomínia”! Processo nele!
Agora, a “atacante” é Mônica Brandão dos Santos Lima, alvo do Processo 0367407-59.2011.8.19.0001, aberto pela TKCSA na 34ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O advogado da pobre empresa atingida pede “indenização por danos morais”, causados por “Dano Moral/Outros”. O “Outros” provavelmente diga respeito ao fato de Mônica, enquanto bióloga do Hospital Universitário Pedro Ernesto, ter sido, juntamente com o Professor Paulo Pavão, uma das responsáveis pelos laudos que vêm também sendo usados para comprovar o nível dos danos causados pela TKCSA.
Será que os rábulas e causídicos da TKCSA já tiveram tempo de ler o relatório Avaliação dos Impactos Socioambientais e de Saúde em Santa Cruz decorrentes da instalação e operação da empresa TKCSA, resultado de dois GTs da Fiocruz, da Escola Nacional de Saúde Publica Sergio Arouca (ENSP) e da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV)? Seu Sumário Executivo, aliás, já esclarece bastante quem está causando “danos”, em todos os sentidos, a toda uma comunidade. Vale citar aqui, inclusive, a citação que o abre:
“Deixamos que a chuva química letal caia sobre nós como se não houvessem alternativas, quando na verdade existem muitas e nossa engenhosidade poderia descobrir muito mais, se lhe déssemos a oportunidade. Será que caímos em um estado de entorpecimento que faz com que aceitemos como inevitável aquilo que é inferior, prejudicial, como se houvéssemos perdido a vontade ou a visão para exigir o que é bom?” (Rachel Carson, Primavera Silenciosa, 1962).
Como fizemos em relação a Hermano de Castro, todo o nosso apoio, agora, também a Mônica Lima!
MEMÓRIAS DO BLOG
25 Fev 2011
A TKCSA foi multada em R$1,8 milhão pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA) do Rio de Janeiro. É objeto de mais de nove ações civis públicas. Em 2 de dezembro, o Ministério Público do Estado do RJ, através de ação ...
24 Fev 2011
Estamos em uma campanha para impedir a licença de operação definitiva da siderúrgica TKCSA. Esta empresa está operando de maneira a tornar a vida das pessoas que moram no seu entorno – pescadores, mulheres, ...

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

TEDx - TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: UMA REFLEXÃO QUILOMBOLA_ÍNDIGENAS - click no título

CAIÇARAS E QUILOMBOLAS TEM REFLETIDO SOBRE AS QUESTÕES DO DESENVOLVIMENTO NA BAIA DE ILHA GRANDE - RJ CREIO QUE MUITOS DE NÓS TEN CONHECIMENTO PARA NESTE MOMENTO PODER OPINAR SOBRE O TEDx REALIZADO NAQUELA REGIÃO.SIGA LENDO  http://www.tedxbaiadailhagrande.com.br/blog/?page_id=2
VEJA QUEM FORAM OS DEBATEDORES:
http://www.tedxbaiadailhagrande.com.br/blog/?page_id=4

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

DO PENSADOR BRASILEIRO - PAULO FREIRE - LIVROS DISPONÍVEIS AQUI

Para os adeptos de Paulo Freire têm agora a disponiblidade de baixar gratuitamente na internet, inclusive o clássico Pedagogia do Oprimido. Algumas de suas obras são consideradas preciosidades. São livros importantíssimos de um pensador brasileiro comprometido profundamente com as causas sociais.O material é inovador, criativo,original e tem importância histórica inédita. Para os profissionais e pesquisadores de comunicação a obra Extensão ou Comunicação é, praticamente, obrigatória.As obras estão disponiveis no portal do governo do Acre: http://www.bibliotecadafloresta.ac.gov.br/.

Confira abaixo as obras e os linques:
A importância do ato de ler<>
Ação Cultural para a Liberdade<>
Extensão ou Comunicação<>
Pedagogia da Autonomia<>
Pedagogia da Indignação<>
Pedagogia do Oprimido<>
Política e Educação<>
Professora sim, Tia não<>
COMENTÁRIOS: Quando tento baixar o livro Pedagogia do Oprimido etá dando mensagem de erro. - Por Antônio Carlos em DO PENSADOR BRASILEIRO - PAULO FREIRE - LIVROS DIS... em 12/10/11
Odila Fonseca disse: Caro Antonio Carlos você tem razão! Vários livros além desse que mencinaste, não estão mais na Biblioteca.Tentarei conseguir em"outra freguesia"...Obrigada pela sua colaboração. Odila
* Colaboração de Solange Ikeda Castrillon para o EcoDebate, 19/05/2010

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

SAGRADA TERRA ESPECULADA - clik no título

O documentário "Sagrada Terra Especulada" narra um período de lutas contra o Setor Noroeste, bairro de alto luxo que a especulação imobiliária do Distrito Federal tenta construir a qualquer custo.Tendo como enfoque a resistência realizada na Reserva Indígena Santuário dos Pajés, o documentário traça a ação da mídia, políticos, empresários, especuladores e burocratas: todos a serviço do lucro e da segregação. Do outro lado, apresenta a ação de movimentos populares em uma incansável e também vitoriosa luta. O documentário pode ser distribuído gratuitamente. Links com vários formatos para download serão acrescentados no blog: http://sagradaterraespeculada.blogspot.com/
ou  http://vimeo.com/28597529

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

RIO TAPAJÓS: ACORDO BILATERAL, A NOVA COLONIZAÇÃO HOLANDESA NO BRASIL

A Bacia do Rio Tapajós vem sendo ocupada pelo acordo bilateral Brasil Holanda.
Assustadora esta ocupação em pleno século XXI na Amazoniapor este acordo bilateral . A jornalista Telma Monteiro,que acompanha toda a política socioambiental na Amazonia colocou todo o processo em seu BLOG http://telmadmonteiro.blogspot.com 
Acompanhe : "A bacia hidrográfica do rio Tapajós é uma das principais sub-bacias da bacia amazônica e tem cerca de 493.000 quilômetros quadrados, onde vivem 820.000 (1) pessoas (Censo Demográfico 2000, IBGE (2)). O rio Tapajós é formado a partir do encontro dos rios Juruena e Teles Pires, na divisa dos estados de Mato Grosso, Amazonas e Pará, e desse ponto ele avança 825 quilômetros para desaguar na margem direita do rio Amazonas. Os rios Jamanxim e Arapiuns, ambos totalmente no estado do Pará, são os maiores tributários do rio Tapajós.Um estudo do coordenador de sustentabilidade ambiental do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), José Aroldo Mota, divulgado no último dia 13, aponta que os recursos naturais da Amazônia valem alguns quatrilhões de dólares. O governo brasileiro pretende usar esses recursos naturais para transformar o Brasil na quinta maior economia do mundo. Para chegar lá, o modal hidroviário, baseado na experiência holandesa, é considerado o principal meio. Seminário em Brasília, organizado pelo DNIT, apresentou um conjunto de propostas com a finalidade de orientar políticas públicas de aplicação de tecnologias e de métodos de planejamento. O governo federal quer aproveitar o modelo que levou a Holanda a desenvolver uma estratégia logística para manter seu poder comercial na Europa. Quem estudou história sabe que os holandeses são mercadores por tradição.O seminário também teve como objetivo trazer para o Brasil uma leitura moderna – como se isso fosse possível - dos 450 anos de transporte hidroviário holandês para aplicá-lo como modelo a ser seguido na Amazônia. O primeiro Termo de Cooperação entre Brasil e Holanda é de 2008, assinado em Haia; depois, em 2009, foi assinado um Protocolo de Cooperação em Brasília; e finalmente em abril de 2010 foi assinado um Plano de Trabalho que levaria os representantes das instituições brasileiras à Holanda, visando o acompanhamento do Plano Hidroviário Estratégico (PHE) e o Curso de Capacitação em Navegação Interior na Holanda.Veja-se que a pretensão vai muito além de aumentar a nossa capacidade logística emperrada há anos pela corrupção no Ministério dos Transportes. Na verdade esses planos mirabolantes para transformar a Amazônia num grande corpo de artérias navegáveis, à semelhança de países como Holanda e Bélgica, estão centrados em um modelo medieval que levou à ocupação industrial das margens dos rios junto com a destruição da vida que havia neles.  A Holanda enxerga o Brasil em números: 5ª maior superfície mundial (205 vezes a Holanda); 4ª maior população mundial e, portanto, importante mercado interno (Brasil, 190 milhões; Mercosul, 300 milhões); principal mercado emergente na América do Sul; diversas oportunidades regionais; diversas oportunidades setoriais (3).
 Contrastes: a Holanda tem 41.864 km² e 16 milhões de habitantes. A bacia Amazônica abrange uma área de 7 milhões de km², dos quais 3,8 milhões de km² encontram-se no Brasil. Com o potencial logístico esgotado na Holanda, as grandes empresas holandesas estão buscando a alternativa de expansão no emaranhado de rios brasileiros na Amazônia. O planejamento das cidades holandesas se deu exclusivamente com a implantação de atividades industriais nas margens dos rios e canais. É exatamente isso que estão querendo fazer com a Amazônia!
Como é o Complexo Tapajós?
 Na esteira dos planos para construção de mega-empreendimentos hidrelétricos na Amazônia, foi elaborado o “Estudo de Inventário Hidrelétrico do rio Tapajós e Jamanxim”, que identificou o potencial de sete aproveitamentos hidrelétricos com potencial de 14.245 megawatts (MW) de capacidade instalada (4).Os estudos indicaram um conjunto de aproveitamentos em cascata, no rio Tapajós e no seu principal tributário, o rio Jamanxim. O Ministério de Minas e Energia (MME) considerou que é estratégico para o Brasil explorar esse potencial de energia. Mas não explicou o porquê. O projeto hidrelétrico de São Luiz de Tapajós, o maior aproveitamento da bacia do Tapajós, está previsto no Plano Decenal de Energia (PDE) 2020.  Em 2010, depois de realizado o inventário para identificar os aproveitamentos hidrelétricos na bacia hidrográfica do Tapajós, foram apresentados também os estudos da Avaliação Ambiental Integrada (AAI) do rio Teles Pires e do rio Juruena, os dois rios que se juntam e formam o Tapajós. Esse parece ser apenas o início de um grande processo de apropriação e privatização dos recursos da Amazônia, incentivado pelo governo, em parceria com grandes empresas nacionais e internacionais e financiamento do BNDES. Projetos de lei estão tramitando (5) céleres no Congresso para viabilizar a construção de eclusas – para transposição de desníveis - simultaneamente à construção de barragens em rios navegáveis e não-navegáveis. Entre os projetos que estão sendo priorizados está o da Hidrovia Tapajós-Juruena-Teles Pires (6).O governo brasileiro anunciou que o Complexo Tapajós, que está no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), seria leiloado em 2010; o leilão foi transferido para 2011. E já há previsão de que a primeira usina comece a operar em 2016. Os estudos de inventário foram entregues à Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) deverá emitir em breve o Termo de Referência relativo à primeira usina, São Luiz do Tapajós, para a elaboração dos Estudos de Impacto Ambiental e respectivo Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA).Uma medida provisória editada em julho promoveu a redução do Parque Nacional da Amazônia e das florestas nacionais de Itaituba 1 e 2, para evitar conflitos no processo de licenciamento ambiental das usinas do Tapajós. Duas das usinas do complexo afetarão diretamente as unidades de conservação. Pelas notícias essa redução está se dando a pedido da Eletronorte e sem os estudos necessários. Mais uma vez o Ibama sofre as pressões políticas impostas pelas necessidades inexplicáveis das empresas estatais. Eletrobras, uma Petrobrás da energia? Ridículo.Com a hidrovia Tapajós-Teles Pires-Juruena, o governo brasileiro quer criar uma nova estrutura organizacional calcada em modelo internacional, em especial no holandês, para viabilizar a implantação de cerca de 20 mil quilômetros de malha hidroviária navegável só na Amazônia. As hidrovias passaram a ocupar um papel importante nas diretrizes do governo brasileiro, do Ministério dos Transportes em especial, com a desculpa de reduzir os custos internos de transporte de commodities e dar competitividade às exportações. Custos internos?Enquanto isso as estradas que tanto mal causaram e que já rasgaram a Amazônia, induziram à ocupação predatória, grilagem, pressionaram o desmatamento e o comércio de madeira ilegal, continuam se desmanchando sem os recursos que sabidamente escoaram para o ralo da corrupção."
NOTAS
1) Municípios paraenses da Bacia do rio Tapajós têm 531.515 habitantes (IBGE, 2010).
2) Ainda não há atualização do Censo de 2010 para bacias hidrográficas.
3) Chamada para o Seminário: “A visão holandesa sobre o Brasil e sobre a cooperação bilateral”.
4) Estudos de Inventário Hidrelétrico das Bacias dos Rios Tapajós e Jamanxim - Centrais Elétricas do Norte do Brasil S. A. – Eletronorte e Construções e Comércio Camargo Corrêa S.A. – CCCC – 2008.
5) http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=18958
6) Projeto Norte Competitivo – Macrologística, disponível em http://www.macrologistica.com.br/9512.html acessado em 18 de janeiro de 2011
Leia também Plano do Ministério dos Transportes pode acabar com a Amazônia – primeira parte do artigo acima
Telma Monteiro é ativista sócio-ambiental e pesquisadora na área de energia e infra-estrutura na Amazônia.
Blog: http://telmadmonteiro.blogspot.com/2011/04/belo-monte-resposta-do-brasil-oea-e.html
Twitter: https://twitter.com/TelmaMonteiro